O perigo de reinventar a roda no marketing multinivel

Disse Mário Quintana: “A preguiça é mãe do progresso. Se o homem não tivesse preguiça de caminhar, não teria inventado a roda”. Da mesma maneira que concordo com esse pensamento, afirmo que “reinventar a roda” é uma das maneiras mais seguras de não se atingir o progresso em Marketing Multinivel.

Note que ele fala “A preguiça é mãe…”, mas essa analogia não mostra a preguiça como um estado de paralisia, pelo contrário, alguém pensou “poxa, é possível inventarmos uma maneira mais fácil de chegar ao nosso destino” e pôs-se a inventar essa maneira. Houve uma ação, um sujeito agiu inventando a roda e ela passou a facilitar a vida das pessoas.

O grande problema dessa tentativa de encurtar o caminho em MMN é que geralmente isso é feito em detrimento da ação. Para fugir do que têm a fazer, as pessoas passam a querer inventar maneiras mais fáceis o tempo todo.

A roda não pode ser reinventada

Ao dizermos que tentar reinventar a roda não é algo inteligente, alguns podem sugerir o pensamento de que “se alguém não tivesse tentado reinventar a roda, não teríamos os pneus” (já li isso em algum lugar). Aceitar esse pensamento é como dizer que inventar um editor de texto é o mesmo que reinventar a escrita – e isso não está certo.

A roda é uma invenção, o pneu é outra. O pneu pode se utilizar do princípio da roda, assim como milhares de outros artefatos, mas é algo com uma finalidade própria, voltado à fins específicos.

Então, estar tentando criar novos métodos para seu empreendimento em MMN é como estar inventando coisas novas e não reinventando – ou aperfeiçoando – o que já existe. E tudo o que é novo, assim como os pneus, precisa ser testado e comprovado antes de ser posto em uso. Isso requer muito esforço e pode nunca dar certo.

Seguir o padrão é ser produtivo, o resto é preguiça disfarçada

Não dá para “reinventar” o sistema de trabalho de sua upline. Qualquer mudança nesse padrão não aperfeiçoa o que já existe, mas, sim, cria algo novo que precisa de avaliação.

Não quero com isso dizer que os modelos atuais de desenvolvimento de organizações de Marketing Multinivel não são passíveis de aperfeiçoamento e evolução, mas que isso requer testes e investimentos de tempo, recursos financeiros e experiência que não são possíveis à iniciantes – qualquer novo candidato que se proponha a fazê-los, desistirá muito antes de patrocinar seu primeiro downline.

A menos que me diga que inventou algo novo, com o qual já criou uma rede sólida de 100 mil pessoas e está ganhando um bom dinheiro, prefiro o arcáico padrão: Lista, Convite, Apresentação de plano. Lembre-se que o sucesso da roda está baseado em sua simplicidade – o próprio universo adotou modelos curvos como um padrão menos despendioso de energia e causador de atritos.

Qual o risco de querer começar a partir do zero

Por mais que eu tenha uma lista de motivos pra lhe dizer porque não cair na tentação de querer “criar seu próprio sistema”, um deles sempre me vem à mente em primeiro lugar. Talvez nem seja o mais importante, mas está entranhado em minha memória por uma história de infância.

Quando pequeno, sempre ouvia as histórias de um sujeito metido a inventor em minha cidade – cidade de interior, todo mundo fica sabendo de tudo. As pessoas comentavam o dia e a hora que ele iria subir o morro para testar seus novos foguetes, e todos iam assistir o episódio.

A coisa não passaria de uma brincadeira se o sujeito assim também pensasse, mas não, ele fazia aquilo com muito empenho e seriedade, como um profissional e esse era o motivo das pessoas zombarem dele. Isso era por volta de 1989-90 e, mesmo depois de 10 anos dos primeiros passos do homem na lua, alguém estava tentando criar seus próprios foguetes.

Fora as queimaduras de pólvora (o combustível de suas naves espaciais); os foguetes, que, ao invés de subir, desciam o morro e as vaias; suas invenções lhe renderam o título de maluco lá na cidade.

Reinventar a roda

MMN é um negócio de Fazedores e não de Inventores

Qualquer pessoa que tente partir do zero, em qualquer negócio, será considerada maluca e cairá em descrédito: imagine um engenheiro que construa um prédio de 30 andares com métodos próprios ou um neurocirurgião que despreze todos os anos de conquistas da ciência em sua área e queira operar do seu jeito.

Você adquiriria os produtos ou serviços de um desses profissionais? Em MMN, ainda mais, utilizar padrões comprovados é de extrema importância. Como será possível convencer pessoas a entrarem num negócio cujo modelo de trabalho ainda não gerou resultados?

Você próprio embarcaria numa viajem para a lua num dos foguetes do meu antigo conterrâneo? Ao iniciar seu negócio de MMN, pense em fazer o que tem que ser feito e não em inventar o que não deve ser inventado.

Caso contrário, além de ser taxado de louco e perder tempo e dinheiro, você poderá se ver diante de uma ultra, super, mega, hiper tecnologicamente avançada roda, incapaz de mover o mais simples dos veículos.

4 COMENTÁRIOS

  1. Gostei do conteúdo.

    Não se deve reinventar a roda do sucesso.
    Mas afirmo que nem todos os Uplines fazem o giro completo da roda, por exemplo na hora de patrocinar, não existe patrocinio e sim um cadastro de um novo dwonline na rede.

    Recrutamento e Patrocinio, são ações distintas e com efeitos diferentes entre si.

    Um bom recrutador, nunca será um bom patrocinador.
    O patrocinador não recruta e sim patrocina.

    Att. Isaac

  2. Ótimo texto, vejo muita muita gente querendo reinventar a roda mais sempre se dão mal e não evoluem no negócio. Isso é uma das coisas mais básicas a se saber quando você entra para uma empresa de MLM, jamais tente reinventar a roda, use o sistema de sua empresa!

  3. as pessoas do MMN deveriam ler ler o básico de Don failla e ver como é simples criar uma organização trabalhando inteligentemente e não arduamente

O QUE VOCÊ ACHOU DESTE TEXTO?

Por favor insira seu comentário!
Por favor, coloque seu nome aqui